IAP

04/12/2018

Sete pinguins foram soltos em Pontal do Paraná, após reabilitação

Os pinguins foram soltos, na última sexta-feira (30), no Balneário de Pontal do Sul. Eles estavam sob cuidados do Centro de Estudos do Mar depois de aparecerem debilitados no litoral paranaense.

 

Sete pinguins da espécie "pinguins-de-magalhães" (Spheniscus magellanicus) retornaram para o seu ambiente natural, na última sexta-feira (30), no balneário de Pontal do Sul, em Pontal do Paraná. Eles estavam sob os cuidados do Centro de Reabilitação do Centro de Estudos do Mar da UFPR e foram atendidos pela equipe do Laboratório de Ecologia e Conservação via Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS).

Os pinguins apareceram no litoral paranaense muito debilitados e não tinham condições de retornar para o mar. Segundo informações do Centro de Estudos do Mar, durante o inverno é comum o aparecimento dessas aves em nossas praias paranaenses. Isso ocorre porque os pinguins-de-magalhães se afastam das colônias na Patagônia, Argentina, em busca de alimento, seguindo as correntes marítimas que os trazem para a região sul e sudeste do Brasil.

CUIDADOS - Nos primeiros dias, os pinguins receberam hidratação, conforto térmico e papa de peixe para facilitar a alimentação. Antes da soltura, todos passaram por exame clínico e foram marcados com microchip. Após estes procedimentos receberam um “atestado de saúde” para a liberação.

"O Instituto Ambiental do Paraná acompanha o trabalho do Centro de Estudos do Mar, emitindo as autorizações necessárias para o desenvolvimento das atividades de resgate, reabilitação e soltura dos animais marinhos encalhados em nosso litoral", explica a diretora de Avaliação de Impacto Ambiental e Licenciamentos Especiais do IAP, Edilaine Vieira da Silva.

OUTROS CASOS – Infelizmente, muitos dos animais que chegam até o litoral paranaense não sobrevivem. Os que sobrevivem recebem atendimento médico veterinário especializado por profissionais do Centro de Estudos do Mar. Em geral os animais chegam magros, desidratados, com frio (hipotermia) e muitos com doenças e ferimentos que necessitam de cuidados.

MONITORAMENTO - Desde 2015 o CEM desenvolve o Programa de Monitoramento de Praias (PMP), iniciativa que já registrou mais de nove mil animais marinhos encalhados, vivos ou mortos, no Litoral do Paraná. O trabalho é feito diariamente em todas as praias de Guaratuba, Matinhos e Ponta do Paraná, além das ilhas do Mel, das Peças e de Superagui.

Cerca de 40 profissionais capacitados participam do processo de reabilitação de animais marinhos no litoral do Paraná, entre estes Médicos Veterinários, Biólogos e Oceanógrafos.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.

Captcha Image Carregar outra imagem