Ambiental

04/06/2020

2,1 mil máscaras são entregues a 29 associações de recicláveis

Ao todo serão confeccionadas 10 mil máscaras para cooperativas e associações de todo o Estado. A ação busca proteger os catadores de materiais recicláveis e gerar renda para costureiras prejudicadas com a pandemia do Covid-19.

 

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo entregou 2.185 máscaras de pano para 29 cooperativas de materiais reciclados de 24 municípios paranaenses. A ação busca proteger os catadores de materiais recicláveis durante a pandemia do Covid-19. O repasse aconteceu a partir de segunda-feira (01).

A arrecadação é resultado da articulação da equipe da Diretoria de Políticas Ambientais da secretaria junto ao Instituto de Logística Reversa (ILOG) e à sociedade civil. Foram recebidas doações de tecidos, elásticos e em dinheiro para confecção de 10 mil máscaras de tecido.

“Nesse primeiro momento foram entregues 2.185 máscaras, mas a ação atenderá cooperativas e associações do Paraná inteiro”, diz o secretário Márcio Nunes.

As máscaras foram confeccionadas pela Supera, instituição sem fins lucrativos vinculada à Universidade Livre para a Eficiência Humana (Unilehu). “A ação também ajudou a gerar renda para muitas costureiras que foram prejudicadas pela pandemia”, ressalta a diretora de Políticas Ambientais da secretaria, Fabiana Campos.

ETAPAS – As cooperativas contempladas nessa primeira entrega ficam nos municípios de Agudos do Sul, Almirante Tamandaré, Araucária, Balsa Nova, Bocaiúva do Sul, Campina Grande do Sul, Campo do Tenente, Campo Magro, Cerro Azul, Colombo, Contenda, Doutor Ulisses, Fazenda Rio Grande, Itaperuçu, Lapa, Mandirituba, Piên, Pinhais, Piraquara, Quitandinha, Rio Branco do Sul, Rio Negro, São José dos Pinhais e Tijucas do Sul.

A Associação de Catadores de Materiais Recicláveis da Fazenda Solidariedade, em Campo Magro, possui mais de 40 funcionários que trabalham diariamente com a reciclagem de materiais que chegam de Curitiba. “Agradecemos muito à secretaria pela doação. As máscaras irão proteger nossos funcionários do lixo que podem vir contaminado”, disse o presidente, Aparecido de Jesus dos Santos.

Associações mais carentes encontram dificuldade de oferecer esse item de proteção. “Nem todos têm condições de comprar as máscaras e procuram apoio da prefeitura ou do Estado para ter proteção individual”, explica Campos. “Eles trabalham com materiais que podem estar contaminados, ainda mais agora com o coronavírus, e precisam ter máscaras para troca diária”, completa.

FAÇA A SUA PARTE – Para proteger esses trabalhadores é fundamental que os cuidados comecem dentro da casa de cada cidadão. Além da separação do lixo orgânico do reciclado, agora é preciso dar atenção a máscaras, luvas e outros materiais contaminados pelo coronavírus. Eles não devem ser descartados junto com o lixo reciclado e o saco deve ser identificado como “Lixo Covid-19”.

Confira AQUI mais cuidados necessários com o lixo.

Visualizar mais fotos AQUI.

 

Saiba mais sobre o trabalho da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo em:
https://www.facebook.com/desenvolvimentosustentaveleturismo/

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.

Captcha Image Carregar outra imagem