Ambiental

22/07/2020

Paraná é premiado por projeto de recuperação de áreas degradadas

Prêmio foi concedido ao Instituto Água e Terra pelo projeto Neutraliza Paraná, que prevê plantio de mudas nativas para minimizar o impacto causado pela emissão de gás carbônico.

 

O Instituto Água e Terra (IAT), vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo do Paraná receberá o Troféu Onda Verde por vencer a 27ª edição do Prêmio Expressão de Ecologia, considerada a maior premiação ambiental do Sul do Brasil e de maior longevidade no país. É concedido pela Editora Expressão, de Santa Catarina.

O reconhecimento é pelo projeto Neutraliza Paraná, vencedor da categoria Recuperação de Áreas Degradadas – Setor Público. A conquista foi divulgada nesta terça-feira (21).

“É uma satisfação receber prêmio e destaco toda a equipe da Secretaria pelo esforço, especialmente os que estão diretamente ligados ao projeto de recuperação de Áreas Degradadas, da Gerência de Restauração Ambiental”, disse o diretor-presidente do IAT, Everton Luiz de Souza.

O diretor de Patrimônio Natural do Instituto, Rafael Andreguetto, afirma que a premiação demonstra que o Estado está em consonância com a política mundial de sustentabilidade da ONU. “O prêmio é um reconhecimento e mostra que o Paraná está no caminho de trabalhar a recuperação de áreas degradadas e se preocupar com a preservação ambiental”, disse.

NEUTRALIZA PARANÁ – O projeto foi criado em 2006 como forma de minimizar os impactos das mudanças climáticas. O aumento da emissão de gases do efeito estufa, em especial o CO2, tem provocado o aquecimento global, com efeitos para a biodiversidade e a sociedade.

“Uma das formas de recuperação é feita por meio do plantio de espécies florestais nativas, que sequestram o carbono atmosférico através da fotossíntese e permitem a minimização de efeitos das mudanças climáticas”, explicou o gerente de restauração ambiental do IAT, Mauro Scharnik.

O Neutraliza Paraná é resultado de uma parceria entre o Estado do Paraná e o Secretariado da Convenção de Diversidade Biológica (SCDB) da ONU. O objetivo é compensar emissões de carbono do escritório da SCDB.

“Como solução, foram estabelecidas áreas para a restauração com mudas de espécies nativas no Paraná e posterior monitoramento dos plantios. As mudas são retiradas por produtores rurais e empresários dos 19 viveiros do Instituto existentes no Estado do Paraná”, disse Scharnik. Além de inúmeros produtores rurais, participam desta parceria empresas como Klabin e Copel.

O prêmio foi conquistado pelo desenvolvimento do projeto até 2016, quando foram compensadas 46.225 toneladas de CO2  pela restauração de 486,63 hectares com o plantio de 740.627 mudas de 148 espécies nativas.

De 2016 a 2018, foram restaurados 167,54 hectares de áreas degradadas com o plantio de 280.949 mudas. A contabilização de áreas no período de 2018 a 2020 está em andamento. Em média, a cada dois anos, são recuperados cerca de 130 hectares.

PRÊMIO – A 27ª edição do Prêmio Expressão Ecologia teve 164 projetos inscritos e 27 vencedores. Desde sua criação, em 1993, o prêmio registra 2.920 cases inscritos das principais empresas, ONGs, prefeituras e entidades da região Sul do país. É certificado pelo Ministério do Meio Ambiente como o mais importante do país no segmento empresarial.

 

Saiba mais sobre o trabalho da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo em:
https://www.facebook.com/desenvolvimentosustentaveleturismo/

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.

Captcha Image Carregar outra imagem