Diretrizes para a criação de animais Silvestres em cativeiro doméstico

I. AVES

Recomendações gerais:

a) O recinto deverá dispor de água renovável, comedouros removíveis e laváveis, poleiros, e dispor de boas condições de higiene;
b) O recinto deve permitir a movimentação ampla do animal;
c) O recinto deve permitir a incidência de luz solar em pelo menos um período do dia;
d) O abrigo deve oferecer proteção contra intempéries, como chuva, ventos fortes e luz solar contínua;
e) Evitar o alojamento de animais de diferentes espécies no mesmo recinto, para prevenir competições interespecíficas e estresse.

II. MAMÍFEROS

Recomendações gerais:

a) Manter os animais em locais arejados, limpos, com luz solar e que garantam uma movimentação confortável;
b) O recinto deve conter bebedouros com água limpa e corrente;
c) Conter galhos ou troncos;
d) Evitar a presença de alimentos deteriorados no interior do recinto;
e) Propiciar áreas de abrigo para chuva e sol;
f) Evitar o alojamento de animais de diferentes espécies no mesmo recinto, para prevenir competições interespecíficas e estresse;
g) Para espécies de hábitos arborícolas, o abrigo deverá ser localizado no estrato superior do recinto;

III RÉPTEIS

Recomendações gerais:

a) Manter os animais em locais arejados, limpos, com luz solar e que garantam uma movimentação confortável.
b) O recinto deve conter bebedouros com água limpa e corrente;
c) Conter galhos ou troncos, quando necessário;
d) Evitar a presença de alimentos deteriorados no interior do recinto;
e) Ter solário e local sombreado. O recinto fechado (terrário) deverá possuir iluminação artificial composta de lâmpadas especiais que, comprovadamente, substituam as radiações solares;
f) Ter piso de areia, terra, grama, folhiço, troncos, pedras ou suas combinações, de modo a favorecer os mais variados habitats (aquático, semiaquático, arborícola, fossorial e terrestre);
g) As paredes e o fundo do tanque ou lago não deverão ser ásperos;
h) Evitar o alojamento de animais de diferentes espécies no mesmo recinto, para prevenir competições interespecíficas e estresse;
i) Evitar superlotação, pois o excesso de indivíduos no mesmo recinto pode causar desvios de comportamento, canibalismo, privação de alimento e outros conflitos.

Observação: para as sub-ordens Lacertília e Amphisbaenia os recintos devem ter vegetação obrigatoriamente. Se abrigarem espécies de hábitos semiaquáticos, o alojamento deverá possuir tanque condizente com o tamanho dos animais.

Para a sub-ordem Serpentes, se abrigar espécies de hábitos semiaquáticos, o alojamento deverá possuir tanque condizente com o tamanho dos animais

Recomendar esta página via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.

Captcha Image Carregar outra imagem